Sua versão do navegador está desatualizado. Recomendamos que você atualize seu navegador para uma versão mais recente.

 

ITÁLIA - Veneza, Cinque Terre, Toscana e Roma

 

Muitos dizem que este roteiro que montamos, com Veneza, Cinque Terre, Toscana e Roma, é o filé mignon da Itália. Mas muita gente vai discordar. Cadê Milão ? E a Costa Amalfitana ?  Ir à Itália e não conhecer a Sicília é um desperdício. Neste debate a única certeza que temos é que todos têm razão. A Itália é aquele país que não dá para ser visto por completo em uma única viagem. E é até bom que não dê mesmo, porque voltar à Itália é sempre uma viagem e tanto.

Então, venha viajar nesse nosso roteiro e veja o que você pode encaixar no seu. E, como é característica do nosso site, veja também o que aconselhamos que você não faça na sua viagem

 

ÍNDICE

ATENÇÃO: VIAGEM REALIZADA EM 2013. Os preços listados são da época da viagem. Muito provavelmente necessitam de atualização.


- O ROTEIRO - cidades, trajetos e distâncias

- AS CIDADES E OS PASSEIOS - o que foi bom e o que não agradou muito

Veneza

Florença

Lucca

Pisa

Cinque Terre

Toscana (interior)

Siena

Assis

Roma e Vaticano

- SEGURANÇA - Perigos ? Nem tanto.

- COMO EVITAR FILAS EM ROMA E NO VATICANO

AS VIAGENS - avião, carro e trem. Prós e contras e o que gastamos

- O PERÍODO DA VIAGEM - duração e clima

- HOSPEDAGENS - avaliação e preço dos locais onde ficamos

- RESUMO - avaliação global. Valeu ou não valeu ?

 

 

 

O ROTEIRO

 

03/08 - Viagem RJ - Lisboa - Veneza pela TAP

 

04/08 - Chegada em Veneza

 

05/08 - Veneza

 

06/08 - Viagem Veneza - Florença pela Trenitalia

 

07/08 - Florença

 

08/08 - Florença

 

09/08 - Viagem de carro Florença - La Spezia, parando em Lucca e Pisa

                Peguei o carro alugado na Hertz

              Percurso total - 174km

 

 

10/08 - Com base em La Spezia, usei como base o roteiro Cinque Terre de 1 dia sugerido pelo site Viaje na Viagem usando trem, ônibus e barco. (se quiser vê-lo, clique ao lado - Cinque Terre )

 

11/08 - Viagem de carro La Spezia - Siena parando em Volterra, San Gimignano, Colle di Val D'Elsa e Monteriggioni

             Percurso total - 257km

 

12/08 - Siena

13/08 - Roteiro na Toscana - Montepulciano, Montichiello, Pienza e Montalcino usando carro

             Percurso total - 142km

 

 

14/08 - Viagem de carro Toscana - Roma parando em Assis.

             Percurso total - 304km

             Carro devolvido em Roma no momento da chegada        

 

 

15/08 - Roma

 

16/08 - Roma

 

17/08 - Roma

 

18/08 - Viagem Roma - Lisboa - RJ pela TAP

 

AS CIDADES E OS PASSEIOS

 

 

VENEZA

 

Chegamos em Veneza, de avião, vindo de Lisboa. E aí Veneza já começa a ficar interessante. Normalmente você chega ao aeroporto do seu destino e pega um táxi. Lá você faz exatamente a mesma coisa, só que o táxi é uma lancha. Existem as lanchas coletivas e as exclusivas, bem mais caras. Pegamos a coletiva, por €15.00 por pessoa. Ela para em locais específicos, mas sempre vai ter um ponto próximo ao seu hotel. Neste caso, ao reservar o seu hotel, é bom verificar se o trajeto do canal até ele faz você passar por muitas pontes e passarelas. Subir e descer pontes carregando malas não é muito agradável.

Como você já deve ter visto lá em cima, no roteiro, chegamos à tarde (nosso voo Lisboa-Veneza atrasou um pouco), ficamos mais um dia completo na cidade e saímos na manhã do dia seguinte. Acho que é o suficiente para conhecer a cidade. Para viver um pouco mais o estilo de vida deles, você terá que ficar mais um dia. Se você quiser ir até Murano ou Burano, nós não fomos, acrescente mais um dia, pelo menos.

 Fizemos os passeios tradicionais: Praça de São Marcos, entramos na igreja, subimos no Campanário e entramos no Palazzo Ducal. A Ponte Rialto é bem bonita. O comércio é bem variado com produtos locais e algumas lojas de grife.

Resolvemos encarar o passeio de gôndola. Para quem está curioso, o passeio de 30 minutinhos fica pela bagatela de 100 euros (preço do barco com até 5 pessoas). Se você quiser uma musiquinha ou que o gondoleiro cante alguma coisa para tornar o seu passeio mais romântico, vai ter que desembolsar bem mais. 
 
DICA que recebemos no hotel e achamos interessante. Escolha um passeio de barco que passe pelos canais menores pois, assim, você verá lugares em que é impossível conhecer caminhando. Nós fizemos isso.
 

Mas o melhor mesmo é fazer o que existe de mais legal na cidade: andar sem rumo, se perdendo pelos becos (certamente você vai se perder em algum momento) e descobrindo aqueles cantos que vão ficar na sua memória depois que você for embora.

 

A Ponte dos Suspiros - cartão postal da cidade. Para quem ainda não ouviu essa história (quem já ouviu, pode pular) diz a lenda que ela tem esse nome porque ligava o Palazzo Ducal ao prédio da prisão local. Os prisioneiros eram julgados no palácio e, condenados, ao passarem pela ponte tinham a última visão do mundo externo dando, ali, o seu último suspiro. Se é verdade não dá para saber mas a lenda é boa. Nós entramos no Palácio e passamos por ela.

 

FLORENÇA

 

 

A Ponte Vecchio. Caminhe por ela, o comércio de jóias é bem forte no local. Alguns contam que os alemães, ao invadirem a cidade durante a II Guerra Mundial, destruíram todas as pontes para dificultar o avanço dos inimigos mas, por ordem de Hitler, que nutria uma admiração especial por ela, mantiveram em pé a Ponte Vecchio. Na busca por mais informações sobre o tema encontrei um post bem interessante do site www.passeiosnatoscana.com e que compartilho com vocês (clique ao lado - A destruição de Florença na II Guerra Mundial ). Ele mostra também algumas fotos da cidade destruída. Quem já esteve lá vai conseguir identificar alguns locais que foram reconstruídos. Que belo trabalho foi feito na cidade. 

A cidade é muito bonita e muito agradável. Procure se hospedar próximo ao centro e você conseguirá fazer muitos passeios a pé por monumentos e obras de arte que ficam ao ar livre.

 

 

Na Piazza della Signoria, na porta do Palazzo Vecchio você irá encontrar uma réplica da escultura de David, de Michelangelo. A original fica na Galleria dell'Academia, também em Florença.

Um passeio que muitos gostam é a Galleria degli Uffizi, importante museu da Europa. Caso queira visitá-lo recomendamos comprar os ingressos antecipadamente. Nós compramos ainda aqui no Brasil já agendando dia e hora de preferência. Lá chegando entramos em uma fila para trocar o voucher pelos ingressos e depois em outra fila para entrar. Até que foi rápido. Quem deixa para comprar na hora enfrenta uma fila bem demorada.

Clique ao lado para acessar a tela já em português - Ingressos Galleria degli Uffizi

Outro programa muito concorrido é a visita à Catedral. Muito bonita. Desde a entrada não deixe de reparar nos detalhes de construção das portas e fachadas. Tudo foi minuciosamente trabalhado e, em alguns lugares, existem diversas mini obras de arte. Mas prepare-se para encarar uma fila considerável. Quando fomos não havia como comprar antecipado e parece que ainda é assim. Acorde cedo e vá para o local.

Ainda na Catedral é possível subir até a cúpula. Dizem que a vista da cidade lá de cima é bem legal. Mas é tarefa para os fortes, para os muito fortes. Parece que são mais de 400 degraus e, em alguns momentos, fica bem estreito. E eu disse PARECE porque não encaramos a subida. 

E se o objetivo é ver Florença de cima, encontramos um outro local para isso, a Piazza Michelangelo. E o melhor é que para chegar lá em cima, você poderá pegar um ônibus. É só perguntar no seu hotel que eles informam o local e o ônibus correto.

Dizem que a vista da Piazza Michelangelo é a mais bonita da cidade. E é mesmo. Nesta foto podemos ver o Rio Arno, a Ponte Vecchio, a Torre do Palazzo Vecchio e a Catedral.

 

E, antes que eu me esqueça, não deixe de experimentar os sorvetes locais. Se você não for no inverno, é claro.

 

Seguindo nosso roteiro, pegamos o carro que havíamos alugado e fomos para La Spézia parando em LUCCA e PISA.

 

LUCCA

 

A cidade é toda cercada por muros que são bem altos e bem largos. Tão largos que, hoje em dia, muita gente passeia de bicicleta por ali. 

Já que estávamos passando por perto valeu a pena dar essa pequena desviada. A cidade é bem legal e tem alguns cantos bem típicos da Itália, como esse pequeno restaurante da foto abaixo.

 

 

 PISA

 

Sempre achei que ir à uma cidade para ver uma torre era algo dispensável. Mas como estávamos por ali resolvemos conhecê-la. E ficamos impressionados. Ela é muito bonita, está muito bem conservada e o local onde ela fica também é muito bonito. Valeu a pena.

 Ela não é pouco inclinada, não. É muito inclinada.

CINQUE TERRE

 

Para quem não conhece, Cinque Terre é um conjunto de cinco cidadezinhas, na verdade cinco vilas de pescadores que cresceram um pouco, que ficam encravadas nas montanhas da costa do Mar da Ligúria, um pouco abaixo de Gênova. Um lugar lindíssimo que nos deu uma aula de como transformar um local simples, mas privilegiadíssimo pela natureza, em um polo turístico.
 
As cinco cidades ficam bem próximas entre si e, com um roteiro de 1 dia dá para conhecer as cinco cidades.

Existem trilhas que ligam as cidades por dentro dos morros mas é percurso para os especialistas em trekking. 
 
 
 
Para vocês terem uma ideia do roteiro que fizemos, ficamos hospedados em La Spezia, à direita no mapa, e depois fizemos o trajeto A - B - C - D - E.  A parte verde mais escuro, no mapa, é a área do Parque Nacional Cinque Terre, órgão responsável pela região.
 
 
CORNIGLIA
 
De La Spezia fomos de trem para CORNIGLIA. Pouco mais de 10 minutos. Chegando na estação você pode pegar um ônibus até o alto, onde fica a cidade, ou subir uma escada de, aproximadamente, 300 degraus. O ônibus passa em horários pré-definidos e tivemos que esperar bastante.
 
 
Corniglia é a mais simples das cinco. Pequena mas muito simpática e com uma vista espetacular, pois fica no alto.
 
MONTEROSSO
 
Ainda de trem, fomos de Corniglia para Monterosso. A cidade já é bem maior e com melhor estrutura, inclusive para hospedagem. As praias possuem barracas e cabines com chuveiro para aluguel. Ótima opção para um banho neste mar incrível e retornar para o seu hotel depois de um bom banho.
 
 

VERNAZZA

Em Monterosso compramos o passe de barco para o resto do dia. Além de servir para trafegar entre as cidades restantes, com o passe você ainda pode curtir a vista das cidades a partir do mar.

Algumas das principais imagens que você encontra sobre Cinque Terre são de Vernazza. Essa abaixo você já deve ter visto.

 

 

Em Cinque Terre, se você tiver tempo, fique mais um dia em uma cidadezinha qualquer das cinco. Corniglia é a mais simples mas também deve ser legal. Passe uma noite em uma delas e curta uma praia e dê um mergulho (Monterosso é a mais animada). Não fiz isso mas fiquei com vontade. Acho que vou voltar lá algum dia.

 

MANAROLA

 

Partindo de Vernazza, seguimos de barco até Manarola. Já na chegada vimos algumas bacias de água muito legais para alguns mergulhos.

 

Os barcos que fazem o transporte são bem confortáveis e seguros. Não tivemos qualquer tipo de preocupação durante as travessias.

 

Uma bela vista da cidade. (Foto: Marcos Antunes)

 

RIOMAGGIORE

 

De Manarola até Riomaggiore existe um caminho pavimentado, chamado Via dell'Amore, que vai beirando a costa. Quando estivemos lá ele estava fechado pois, há alguns meses atrás, um turista havia sido atingido por uma pedra que caiu do morro. O caminho estava fechado para manutenção sem previsão de abertura. Uma pena pois esse caminho é uma das atrações do local. Mais um motivo para voltarmos. Se você estiver por lá e o caminho estiver liberado, não deixe de fazê-lo pois todas as informações que recebemos foram muito positivas.

 

A cidade é bem interessante. Muitos jovens e alguns albergues para uma hospedagem rápida. Deu para perceber que à noite a cidade deve ficar com um clima bem legal. Sem os turistas, que retornam para as suas bases, o ambiente deve ficar bem mais calmo e tranquilo. Escutamos um turista brasileiro comentando que à noite, o pessoal ficava na rua ou nos bares e sempre aparecia alguém com um violão ou algum outro instrumento. Certamente um programa e tanto.

E, como o nosso hotel ficava em la Spezia era hora de voltar para a nossa base pois, no dia seguinte, seguiríamos para começar o passeio pela Toscana. Fizemos o trajeto de trem pois era a forma mais rápida para chegar ao nosso hotel.
 
TOSCANA
 

Quando falamos em Florença, Lucca e Pisa já estávamos na Toscana. Quando falarmos sobre Siena também estaremos falando da Toscana. Mas, nesta parte do post, vamos falar um pouco da Toscana dos campos verdes, das belíssimas paisagens e das antigas cidades medievais e muradas.

Para conhecer essa parte da Toscana o melhor meio de transporte é o carro. Escolha as estradas secundárias e você verá na sua frente muitas daquelas paisagens que você já viu no cinema e na TV. E, certamente, irá descobrir outras igualmente belas.

Saindo de La Spezia fomos para o nosso hotel perto de Siena. Como iríamos fazer todos os percursos de carro optamos por nos hospedar fora das grandes cidades ( Não deixe de ler o post sobre Hotel Le Pietre Vive. Um tipo de hospedagem, chamada de Agriturismo, que cada vez ganha mais adeptos na Europa ).

 

COLOCANDO OBJETIVOS TURÍSTICOS NO DESLOCAMENTO ENTRE DUAS CIDADES DO ROTEIRO

 

Se vocês observarem outros posts do nosso site, vocês vão observar que uma coisa que gostamos de fazer é incluir pontos a serem visitados no deslocamento entre duas cidades. Assim, em vez de perdermos um período do dia no trajeto e no check-in no novo hotel, para só então sair para conhecer os lugares, já vamos conhecendo os lugares e deixamos o check-in para o final da tarde, quando um bom banho e uma saída para o jantar fecham muito bem o dia. É claro que não é sempre que dá para fazer isso. Achamos útil quando os pontos a serem visitados podem ser incluídos sem grandes desvios no trajeto.

Uma dica útil é alugar um carro que tenha um bom porta-malas para que suas malas não fiquem visíveis sobre os bancos, o que, mesmo na Europa, pode atrair ladrões de oportunidade.

Entre La Spezia e Montaperti, local do nosso hotel, visitamos algumas cidades medievais::

 

VOLTERRA

Muito bonita e bastante movimentada. Alguns moradores locais, vestidos como seus antepassados, fazem performances pelas ruas criando um clima bem interessante e de muita integração com os turistas. Na alta temporada a cidade fica bem cheia. Começamos por ela para chegar antes das excursões. Deu certo e ainda conseguimos estacionar nosso carro bem próximo da entrada da cidade.

 

SAN GIMIGNANO

A cidade é famosa pelas suas torres. Descobrimos que, antigamente, a altura das torres era proporcional à riqueza e ao poder dos seus donos. Como aconteciam muitas guerras e, muitas vezes as cidades eram tomadas, a primeira coisa que os inimigos faziam era derrubar as torres. Poucas sobraram e San Gimignano é famosa por ter conseguido conservar algumas delas.

 A entrada da cidade

 

COLLE DI VAL D'ELSA 

A cidadezinha é famosa por ser uma grande produtora de cristais. No nosso caso não valeu muito a visita. Tinha até alguns lugares bem bacaninhas mas estava muito vazia e bem deserta em alguns locais. Tiramos só algumas poucas fotos e saímos em direção à última cidade do roteiro. 

 

MONTERIGGIONI

Essa já nos deixou uma impressão bem diferente. Não estava muito cheia de turistas e era bem agradável. Excelente para um final de dia quando, cansados dos passeios pelas outras cidades, é possível encontrar uma boa sombra para descansar tomando um sorvete, uma acqua frizzante (com gás) e vendo o tempo passar. Vale lembrar que nossa viagem foi no auge do verão e estávamos pegando temperaturas próximas dos 40 graus. Se você for no inverno sua impressão provavelmente será bem diferente.

 

Um passeio interessante nesta cidade é subir e caminhar pelo muro que a circunda. A vista é bem bonita.

Nesta cidade terminou o roteiro do nosso primeiro dia de passeio pela Toscana.

 

O SEGUNDO DIA NA TOSCANA

 

No dia seguinte acordamos bem cedo e fomos fazer o segundo roteiro que havíamos montado. E, neste trajeto, vimos a Toscana dos campos e das belas paisagens que estávamos querendo ver.

 

As cidades medievais ficam sempre no topo das montanhas e as estradas até elas fornecem imagens muito bonitas.

Essa imagem é muito comum na região.

 

MONTEPULCIANO

 

 

As cidades medievais, entre si, são muito parecidas. Possuem o mesmo formato. Ruas estreitas, ficam no alto das colinas e, por esse motivo, sempre possuem muitas ladeiras e escadas. Umas são mais turísticas, outras mais bem cuidadas e outras mais simples. Montepulciano é bonitinha e tem uma vista bonita.

Não é permitido entrar de carro nas cidades. Existem estacionamentos em todas elas. À medida em que você vai se aproximando os estacionamentos vão surgindo. Muita gente já vai parando nestes estacionamentos mas depois tem que encarar o restante a pé. Em alguns casos a caminhada é em subida. Em todas as cidades tentamos encontrar vaga para o carro nos estacionamentos mais próximos da entrada. E em todas elas encontramos. Sugiro que você tente fazer o mesmo. Se não encontrar você volta descendo até encontrar sua vaga.

 

A CAMINHO DE PIENZA

 

Esta é a parte da estrada que achamos mais bonita. Saindo de Montepulciano para Pienza você verá lindas paisagens. No meio do caminho tem uma cidade bem pequena chamada Montichiello. Pena que fomos no verão e as paisagens não estavam muito floridas e a grama estava um pouco queimada. Mas mesmo assim foi um ótimo passeio.

 

Dentre todas as cidades que visitamos na Toscana, Pienza foi a mais bonita. Muito bem cuidada e muito florida. Se você tiver que escolher as cidades a visitar, não deixe Pienza de fora. Não só pela beleza da cidade como também pelo caminho para chegar até ela.

 

MONTALCINO

 

Essa cidade tem uma diferença para as demais. Ela tem esse forte com muros altos mas a parte histórica fica fora dos muros.

 

E, para os amantes de um bom vinho, é nela que você vai encontrar o famoso Brunello di Montalcino.

 

 

Fazendo uma avaliação global dos dois roteiros da Toscana, achamos que não vale a pena visitar todas as cidades que visitamos. Escolha umas três ou quatro, Pienza entre elas, e você terá uma excelente visão desta parte incrivelmente bonita da Itália.

Gostamos muito também de Volterra. E San Gimignano sempre está na lista de preferências da maioria dos turistas. Nós também gostamos dela.

 

SIENA

 

No terceiro dia na Toscana fomos para Siena. Aqui já é diferente. Em vez de incluí-la no roteiro com outras cidades, reserve, pelo menos, um dia inteiro para Siena. E vamos resumir logo de início o que achamos. Siena é um espetáculo. Linda cidade.

 

 

E ainda demos sorte pois estivemos lá no dia 12/08 e o PÁLIO acontece no dia 16/08. A famosa corrida de cavalos acontece nesta praça e tivemos a oportunidade de vê-la já preparada para o dia da festa. A cidade já estava enfeitada com as bandeiras das "contradas" e algumas exibições de música e dança aconteceram nas ruas enquanto estivemos lá. No dia do Pálio a cidade fica entupida de gente e se você pretende ir até lá para vê-lo é bom se preparar com bastante antecedência.

 

Se você quer saber o que é o PÁLIO DI SIENA abaixo apresentamos um pequeno resumo.

 

É uma corrida de cavalos na Piazza del Campo (a praça da foto acima), que ocorre nos dias 2 de julho e 16 de agosto, desde o século XIV, em honra à Nossa Senhora.
 
Um total de 17 bairros (as contradas) participam destas corridas. No dia da corrida eles desfilam pela praça  com trajes tradicionais e bandeiras, mas a corrida em si é feita somente por dez cavalos, cada um de uma contrada, que são escolhidos por sorteio. As sete contradas não sorteadas participam, obrigatoriamente, das corridas do ano seguinte.  Cada bairro tem suas cores e hino. Ganha o cavalo que chegar primeiro, após três voltas ao redor da praça, mesmo que o fantino (o jóquei) já tenha caído. O prêmio é um estandarte (pálio) criado exclusivamente para cada evento, por um artista local ou de fora. Nos dias de corrida os habitantes e turistas concentram-se no centro da Piazza del Campo para assistir ao evento. As arquibancadas ao redor da praça ficam repletas de torcedores organizados que cantam os hinos de cada contrada.(fonte: Wikipédia)
 
 
A rivalidade entre as contradas é muito grande e a vitória nas corridas é quase uma questão de honra. Pelo que soubemos, as pessoas não escolhem por qual contrada elas vão torcer. Elas nascem nas contradas e delas fazem parte. 

Se você quer ver uma corrida clique no link abaixo. É um vídeo com a corrida do dia 16/08/2013, quatro dias depois de termos estado lá. Duração aproximada de 4 minutos. A corrida é perigosíssima e fica até difícil acreditar que nunca morreu alguém.

  Vídeo Pálio di Siena

 

 Além da corrida a cidade ainda tem outros atrativos, ótimos restaurantes e uma Catedral belíssima. Depois da Catedral de São Pedro, no Vaticano, foi a Catedral mais bonita que vimos em toda a viagem.

 

ASSIS

 

Nosso último trecho de carro seria a viagem de Siena para Roma. Mais uma vez seguindo a ideia de incluir uma parada no meio do caminho e chegar no final da tarde no destino, incluímos um pequeno desvio em Assis para conhecer a cidade de São Francisco e visitar a famosa basílica.

E acabamos vendo muito mais. A cidade é muito bonita e a vista lá de cima é muito legal

 

A Basílica vale a visita e visitamos também a Igreja de Santa Clara que também tem uma história muito bonita.

Paramos o carro no estacionamento MOJANO. Ele tem uma boa estrutura, loja de conveniência, banheiro e ainda tem escadas rolantes que levam você ao alto da cidade. Você sai ao lado da igreja de Santa Clara e dá para ir e voltar a pé até a Basílica de São Francisco de Assis. Caso você não queira fazer essa caminhada existe um ônibus que faz um trajeto circular da praça principal até a Basílica. No alto da cidade tem um mirante cuja vista também é muito bonita.

 

ROMA

 

Conforme planejado chegamos em Roma no final da tarde e fomos direto para o escritório da HERTZ devolver o carro. Não há necessidade de carro para conhecer os principais pontos turísticos de Roma se você escolher bem a localização do seu hotel. O nosso era entre a Fontana di Trevi e o Coliseo. Veja mais detalhes na seção HOSPEDAGENS. Andar de carro no trânsito de Roma não é muito agradável e é preciso muito cuidado pois em algumas ruas só é permitida a circulação de carros autorizados. Há risco de multa.

Fizemos os passeios tradicionais: Coliseo, Fórum Romano, Fontana di Trevi, Monumento a Vittorio Emanuele II, Piazza Navona, Piazza di Spagna, Castelo de Santo Ângelo e Panteão. Trastevere é um bairro que deve ser visitado. Sente um pouco em algum bar, no final da tarde, para uns petiscos antes do jantar.

Dois monumentos merecem um destaque especial:

 

 

O PANTEÃO é O MONUMENTO ! Está ultra hiper bem conservado e nos dá a dimensão exata do que era entrar em uma construção naquela época. Foi construído em 27 a.C. Foi destruído por um incêndio em 80 d.C. e reconstruído em 125 d.C. no reinado do imperador Adriano (fonte: Wikipédia).

 

 

A FONTANA DI TREVI. Belíssima. Vejam como ela estava no final da tarde. Entupida de turistas, a maioria jogando sua moedinha para, segundo a lenda, voltar a Roma.

 

Na manhã do dia seguinte voltamos até lá bem cedo, pois queríamos tirar uma foto nossa sem a multidão de turistas. E acabamos vendo a fonte desligada e funcionários, provavelmente, da prefeitura escoltados pela polícia recolhendo as moedas jogadas. E pelo peso dos sacos que retiraram não havia pouco dinheiro não. Acho que compensa o trabalho.

 

VATICANO

 

 

A Basílica de São Pedro é um espetáculo. Lindíssima.. Nem precisava de tanto ouro, aliás, não precisava de nenhum. Logo após a entrada, do lado direito, não deixe de ver a Pietá, de Michelangelo. 

O Museu do Vaticano também não pode deixar de ser visitado. Não ver a Capela Sistina, estando ali do lado, seria um desperdício que você não deve cometer. Aprecie com calma os tetos dos salões e dos corredores.

Se você tiver oportunidade, veja o ANGELUS, a benção do Papa que acontece aos domingos na Praça. Uma cerimônia muito bonita mesmo para quem não é religioso. Você vai ver o Papa Francisco de longe,  ele aparece naquela janelinha do prédio do lado direito (para quem está de frente para a Basílica), mas vale a pena. Às quartas-feiras ele desce até a Praça e você poderá vê-lo mais de perto, se for o seu desejo.

 

SEGURANÇA

 

Sobre segurança nas cidades só tive um início de problema, em Roma. Por volta do meio-dia, na saída do metrô Cavour, duas ciganas tentaram encurralar a mim e a minha esposa, em uma calçada estreita, para tentar roubar alguma coisa. A estratégia delas foi a mesma que já havia visto 20 anos atrás. Elas vêm com um papelão com algo escrito em uma das mãos e tentam te distrair com a outra. Elas vão tentar te roubar com a mão que está embaixo do papelão. Já conhecendo o golpe, fomos para o meio da rua e elas ficaram para trás.

 

 COMO EVITAR FILAS EM ROMA E NO VATICANO

 

Sobre as filas nas atrações, não deixe de comprar os passes para entrar sem fila. Não existe nada pior do que perder tempo em filas durante um passeio. Comprei o ROMA PASS (usei no Coliseo e no Fórum Imperial, vale como uma entrada, e no Castelo Santo Ângelo). A entrada para o Museu do Vaticano comprei pela internet. Se você aceita uma sugestão, não deixe para comprar as entradas na hora. Pelo menos quando fomos as filas no Coliseo e no Museu do Vaticano estavam imensas.

 

Link para o site do ROMA PASS  

 

Link para comprar os ingressos para o MUSEU DO VATICANO

 

AS VIAGENS

 

1. TAP

 

Os voos da TAP foram bons. Espaço razoável entre as poltronas na classe econômica. Tripulação muito simpática e atenciosa em todos os voos.

 

Problemas:

 

Um atraso de 1h 30 min na conexão Lisboa - Veneza

A escolha dos assentos que havia feito na compra das passagens não foi respeitada na hora do check-in on-line. Trocaram os meus lugares no voo de volta.

Greve no dia dos voos de volta. O trecho Roma - Lisboa não teve serviço de bordo pois a tripulação não estava completa.

Filas enormes e demoradas na Polícia Federal em Lisboa, tanto na ida quanto na volta. Muito cuidado com as conexões

 

Comprei as passagens em abril, direto no site da TAP.

 

www.flytap.com.br

 

Pagando a passagem com o cartão VISA Platinum você ganha o Certificado Schengen, um seguro saúde no valor de 30.000 euros. Entre no site www.visa-platinum.com e clique na guia BENEFÍCIOS. Existem outros benefícios que podem lhe interessar.

 

2. CARRO

 

As viagens de carro foram ótimas. Estradas excelentes e os percursos que escolhi foram cumpridos sem qualquer correria.

 

Reservei o carro 30 dias antes da viagem através do VISA Concierge. Excelente atendimento e, nesta viagem, ainda conseguiram um preço melhor do que fazendo direto com as locadoras, incluindo um seguro chamado SUPER COVER que, salvo engano, elimina a franquia.

 

www.visa-platinum.com - Clicar na guia VISA CONCIERGE.

 

Pagando o aluguel com o cartão VISA Platinum você ganha o seguro. Na Itália a maioria das locadoras não aceita esse seguro mas já usei nos Estados Unidos e funcionou.

 

MUITO CUIDADO:

 

Fui colocar combustível no carro em um posto de autoatendimento. A máquina travou, ficou com o meu dinheiro e não liberou o combustível. Devolveu um ticket com um vale que só poderia ser usado naquele mesmo posto quando algum funcionário estivesse lá. Como eu já estava indo para Roma, perdi 50 euros. Faça um teste com 5 euros, se funcionar encha o tanque.

 

Ao entregar o carro na Hertz, em Roma, o tanque estava 6/8 cheio. A Hertz me cobrou um tanque completo, ou seja, 93 euros. Segundo o funcionário da Hertz existe uma cláusula, chamada FPO, que os autoriza a fazer isso. Não fui informado corretamente a esse respeito quando peguei o carro em Florença. Ou você entrega o carro com o tanque cheio ou na reserva pois, segundo o funcionário, não importa se faltam 5 litros ou 50. Ao chegar ao Brasil fiz contato com o VISA Concierge e fiz essa reclamação. Eles fizeram contato com a HERTZ e recebi 71 euros de volta. Aí ficou justo.

 

DICAS:

 

Se você não pretende usar o GPS do seu celular faça a reserva do carro já com o GPS. Fiz a reserva com antecedência mas deixei para resolver sobre o GPS (18 euros por dia) no local. Não havia GPS disponível. Consegui me virar com os roteiros que havia feito no Google e com a ajuda da sinalização das estradas que é boa.

Aluguei um carro com uma boa mala para as bagagens não ficarem à vista nos estacionamentos. Aluguei um Lancia-Delta e consegui guardar 3 malas médias e 3 mochilas pequenas. Se eu tivesse uma mala grande teria complicado. É bom checar isso quando alugar o carro. 

 

3. TREM

 

A viagem de trem foi tranquila, como sempre. Facilidade no embarque, viagem tranquila e tudo dentro do horário.

Comprei as passagens direto no site da Trenitalia. Dá para imprimir o voucher aqui no Brasil. É só entrar no trem, sentar no seu lugar e esperar o fiscal passar para registrar o seu bilhete.

 

 

O PERÍODO DA VIAGEM - 03 a 18 de agosto de 2013

 

Um calor infernal e muitos turistas em todas as cidades, além de não termos visto a Toscana florida e com muito verde. Se você puder escolher outro período (eu não pude), acho que vale a pena. Mas se não puder, não cancele sua viagem por causa disso. Dá para encarar e esses locais que visitei valem qualquer "sacrifício". Minha rotina, sempre que possível, era sair cedo do hotel, fazer os passeios até 13 horas, parar para o almoço, voltar para o hotel para um banho e para recarregar as baterias no ar condicionado e depois sair novamente por volta das 18 horas. Já pensando nisso reservei todos os meus hotéis perto dos pontos turísticos principais.

 

 

HOSPEDAGEM

 

Veneza - Hotel San Salvador

 

www.hotelsansalvador.it

 

Recomendo, muito, para quem quer ótima localização e um local para dormir e descansar entre os passeios.

O hotel é simples mas muito limpo. O quarto é pequeno e não tem café da manhã (dá para arranjar fácil, perto do hotel). Wi-fi no quarto.

Fica muito perto da Ponte Rialto e é muito fácil pegar e sair da balsa com as malas sem ter que atravessar pontes nem subir escadas. Para completar, o atendimento foi espetacular. É um hotel familiar. Converse com a Ambra que ela vai fazer a sua passagem por Veneza ficar melhor ainda. Achei o preço justo: 120 euros por um quarto triplo (3 adultos).

 

Florença - Hotel Albergo Firenze

 

www.hotelfirenze-fi.it

 

Quarto confortável e espaçoso, um café da manhã honesto e uma localização espetacular, entre a Duomo e a Piazza della Signoria.

Não tem wi-fi no quarto (só na recepção) e o atendimento da recepção foi muito ruim. Funcionários sem paciência e dispostos a fazer apenas o básico e, assim mesmo, mal feito.

Achei o preço bom, 80 euros - quarto triplo.

Também recomendo muito esse hotel. Dê umas respostas atravessadas para as atendentes, se for preciso, e seja feliz aproveitando o que o hotel tem de bom e a cidade que é ótima.

 

La Spézia - My One Hotel

 

www.compagniedeshotelslaspezia.it

 

Bom hotel, confortável, quarto bem amplo (dois ambientes) e bom atendimento. Café da manhã adequado.

Só achei caro para a cidade onde fica ( 144 euros - quarto triplo). Não gostei de La Spézia. Acho que vale a pena tentar hospedagem em alguma das "CINQUE TERRE" ou em Portovenere. É só adaptar o roteiro e aceitar um hotel com, talvez, um pouco menos de conforto.

 

Siena - B&B Le Pietre Vive (na verdade fica em Monteaperti)

Este hotel rendeu um post exclusivo aqui no site pois vamos falar de um tipo diferente de hospedagem - AGRITURISMO - Hospedagem na Toscana

 

www.lepietrevive.it

 

Como queria conhecer a Toscana de carro, achei melhor ficar fora de Siena. E valeu muito a pena.

Esse hotel tem apenas um quarto que, na verdade, é um apartamento com dois ambientes bem amplos, cozinha com geladeira, freezer, pratos, talheres e até alguns mantimentos. O wi-fi no quarto deixou a desejar algumas vezes mas deu para o gasto.

O melhor desse hotel é que ele é uma fazenda que fica próxima de Siena (13 km), perto da saída da estrada e em um local bem bonito. É a residência do dono do Hotel Quatro Torra (também ali perto) e o atendimento é diferenciado. Você quase se sente um membro da família.

Durante a noite dá para curtir um jantar seguindo as tradições italianas e não deixe, em hipótese alguma, de aproveitar o papo com a "Nonna Ciana" no café da manhã. É uma senhora supersimpática e superespecial que vai sentar com você à mesa e vai falar de diversos assuntos mas, principalmente sobre a Itália e suas tradições. E, se for do seu agrado, ainda dá para agendar com ela uma "cooking class" para aprender os segredos da cozinha italiana (isso não tivemos tempo de fazer).

Achei bom o preço da diária - 100 euros por três pessoas. No apartamento cabem 5 pessoas e ainda vai sobrar espaço.

 

Roma - Hotel Artorius

 

www.hotelartorius.com

 

Acho que foi o melhor hotel da viagem. Foi indicação de um amigo que já havia ficado lá por duas vezes. Tudo funcionou. Quarto amplo e limpo, wi-fi no quarto, café da manhã muito bom, equipe muito atenciosa e localização excelente (entre o Coliseo e a Fontana di Trevi). Possui vários bons restaurantes por perto. Não teve o atendimento excepcional da Ambra (de Veneza) nem o carisma da "Nonna Ciana" (do Le Pietre Vive) mas foi aquele hotel que você paga (150 euros - quarto triplo) e sai achando que recebeu cada euro de volta.

 

RESUMO

 

Fazendo um balanço da viagem, que país espetacular é a Itália. 
 
VENEZA é única. Incrível ver a vida em uma cidade onde as ruas são canais e tudo gira através dos barcos. Ambulâncias, bombeiros, coleta de lixo, transporte de materiais e mantimentos tudo feito por dentro d'água. É uma cidade que não pode deixar de ser visitada por quem tiver essa oportunidade.
 
FLORENÇA é uma cidade muito agradável e muito movimentada. Andar pelas ruas, observar o movimento e tomar um gelato é programa para se repetir muitas vezes sem nunca cansar.
 
PISA surpreendeu, e muito, favoravelmente. Pensávamos que seria só dar uma olhadinha na Torre e ir embora. Que nada ! O local é muito bonito e é um impacto e tanto ver de muito perto aquela torre que estava nos nossos livros de história geral. Além disso, a reforma fez muito bem a ela. Está branquinha e muito bonita.
 
CINQUE TERRE é uma aula de como se pode transformar um lugar simples mas, ao mesmo tempo, "privilegiadíssimo" pela natureza, em um local super turístico. Um lugar onde a cada minuto você encontra uma vista ou um canto mais bonito que o anterior. Uma joia de lugar. A vontade foi de colocar no post todas as fotos que tiramos.
 
TOSCANA é aquilo mesmo que já havíamos visto em filmes, revistas e novelas. Cidades medievais, cercadas de muros, intercaladas por paisagens e caminhos muito bonitos. Ficamos com pena pois, por causa do verão e do forte calor, os campos não estavam tão verdes quanto devem ser e não havia flores como deve haver. As cidadezinhas também são um charme mas é preciso fôlego para encarar o passeio em cada uma delas pois as caminhadas são sempre em subidas e com muitas escadas.
 
ASSIS foi uma bela surpresa. Fomos até lá para ver a Basílica de São Francisco e acabamos vendo, além da Basílica, uma cidade muito bonita. Vimos também a Igreja de Santa Clara e algumas histórias da vida dela muito interessantes e bem de acordo com os princípios de São Francisco.
 
E ROMA ? Achamos a cidade um pouco mal cuidada e suja em vários locais. Conseguimos ver que a vida, realmente, anda difícil por lá. Muita gente pedindo dinheiro pelas ruas. Mas tradição é tradição e história é história. E, nesse quesito, Roma é Roma. Imbatível. Não dá para não ficar impactado entrando em um local construído há mais de 2000 anos. 
 
E, para terminar, como se come bem na Itália. Normalmente, nas nossas viagens, fazemos uma refeição completa por dia e o resto é na base do sanduíche. Mas lá não deu para fazer isso. Almoçamos e jantamos em restaurantes. Muita bisteca, pizza e massa, a carbonara, ao ragu, ao pomodoro e com muito queijo ralado. A pizza, a nossa é melhor. Mas as massas e, principalmente, os molhos foram show de bola. E a bruschetta também não faltou. 
 
VIVA A ITÁLIA !!!